Abrigo ou Morada

 Fizeste do Altíssimo a tua morada.
Salmo 91.1



Fim de tarde, passos rápidos, pingos de chuvas acariciavam a minha pele e em minha mente um só pensamento preciso me abrigar desta chuva.  Ela veio depressa e com toda sua força dançava com o vento e eu ali naquele abrigo seguro observava o belo espetáculo. O show acabou as luzes dos trovões se apagaram é hora de seguir e em passos calmos prossigo agradecida é bom ter aonde se abrigar em dias de tempestade, mas sei que melhor ainda é pode ir para casa lar meu doce lar.

Longe de casa e famintos estava uma multidão¹ que por saber dos sinais que Jesus fazia vieram ao Seu encontro. Jesus vendo a multidão e para experimentar Felipe questionou como fariam para alimentar tamanha multidão. A noticia se espalhou entre os discípulos, mas Jesus não estava com “medo” de não ter o dar ao povo Ele sabia o que iria fazer. Neste ínterim chega Andre e informa que ali entre a multidão há um rapaz com cinco pães e dois peixinhos e com estes pão e peixes Jesus fez o milagre e multiplicou e alimentou toda aquela multidão.
No outro dia já em outro lugar Jesus continua sua missão e novamente multidão O procurava, mas desta vez não porque viram sinais e prodígios, mas porque tinham fome e queriam que Jesus saciasse novamente a sua fome de pão. Jesus os confronta dizendo que seus pais comeram maná no deserto e novamente sentiram fome e que eles deveriam trabalhar pela comida que não perece. Mas aquele povo não estava interessado em Jesus, eles fizeram de Jesus um abrigo temporário queriam apenas saciar sua fome.

Em contrapartida vemos Rute que em tempos de fome poderia ter buscado  abrigo em sua terra sua parentela, mas não Rute escolheu ficar com sua sogra mesmo sabendo que esta nada tinha a oferecer. Rute fez da terra de sua sogra e a sua morada, do Deus de sua sogra o seu Deus e mostrou que o que realmente importa é o amor.

E é espelhado neste amor de Rute por sua sogra que devemos caminhar com Jesus sem interesse e por completo, pois muito mais é Ele do que aquilo que Ele pode me dar.
Não façamos do Senhor apenas um abrigo para os dias tempestades, mas uma morada um lugar de habitação quer seja chuva ou sol, quer tempo de escassez ou fartura que Ele seja o único lugar aonde queremos estar.






--------------------------
¹ João 6.1.40
² Rute 1.1.18


2 comentários:

  1. Boa noite, Irene.
    Profunda sua reflexão.
    O Senhor está além de nossas necessidades meramente
    materiais.
    Ele oferece a água viva, que não nos deixa ter sede.

    ResponderExcluir
  2. Que linda mensagem Irene!
    Sim vamos fazer do Senhor Jesus nosso abrigo, nossa rocha e proteção, não só para resolver um problema temporário, mas sim nosso abrigo onde sentimos alegria, paz e confiança perpétua. Pois é esta a atitude que Ele espera que tenhamos.
    “Só Ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha fortaleza; não serei abalado.” Salmos 62.6
    “Vive o Senhor; bendita seja a minha rocha, e exaltado seja o Deus da minha salvação” Salmos 18.46

    Doce abraço em você querida amiga!

    ResponderExcluir